Vagas de estacionamento na Esplanada dos Ministérios. Pra quê?

Saídas de veículos do projeto de estacionamento. As saídas de ventilação e de veículos alteram o gramado.

   O governo do Distrito Federal anunciou nos últimos meses a intenção de construir um estacionamento subterrâneo na Esplanada dos Ministérios. Essa medida surgiu como tentativa de suprir a necessidade de vagas de estacionamento nesse local. Mas porquê tapar o sol com a peneira? Seria esta mais uma tentativa de fechar os olhos para o transporte público no DF?
  É fato que existe um problema de necessidade de vagas na Esplanada. Mas a execução deste projeto seria a melhor solução para o problema? Como aceitar sem discutir um projeto faraônico que apresenta quatro andares de subsolo com dez mil vagas de estacionamento na extensão do canteiro central da Esplanada? Como tratar com tanta urgência um projeto orçado em mais de 800 milhões de reais?
 O Governo do Distrito Federal (GDF) parece negligenciar a opinião da população a esse respeito. O projeto desenvolvido fora do alcance popular foi divulgado apenas quando já estava pronto e com intenção de ser construído. Mas e os outros projetos? E a existência de um concurso para selecionar um projeto? E o projeto já existente de Carlos Magalhães e Fernando Andrade? Não deveria ser discutido? E a opinião da sociedade?  Contratar um empresa de outro estado para fazer um projeto dessa magnitude seria uma boa opção? 
  Todos esses pontos vem sendo discutidos nas últimas semanas por estudantes e arquitetos. Mas será que não estamos esquecendo de algo? E o transporte público?
  Quem é morador de Brasília sabe a negligência com que o transporte público vem sendo tratado nos últimos anos na cidade. Como consequência dessa falta de opção, a maioria da população opta pelo uso do carro particular. E opta mal. A maioria dos carros são vistos com apenas o motorista, nenhum passageiro. Logo, as principais vias da Capital tornam-se intrafegáveis a cada dia. E como resolver? Com vagas de estacionamento? Não! 
  Queremos um transporte público de qualidade! Nós pagamos e pagamos caro, deveríamos ter opção. Opção de usufruir de um transporte público que seja coerente com sua qualidade e preço. Que não deixe de funcionar porque seus funcionários não estão sendo pagos. Que alcance os lugares mais distantes. Que seja rápido. Que não leve o dobro do tempo de um carro particular para chegar ao local desejado. Que seja frequente. Que seja acessível.
 Mas essa é uma solução que infelizmente demora anos para mudar... No entanto, outras opções já foram discutidas e colocam à prova a necessidade de se alterar um planejamento arquitetônico e urbanístico que é patrimônio cultural da humanidade. Flexibilizar os horários dos funcionários; ampliar, se necessário, estacionamentos mais afastados da esplanada; utilizar transporte funcional (fretado) são algumas dessas possíveis soluções. 
 A solução benéfica para alguns (que não são a população) para a questão de estacionamento na Esplanada fecha os olhos para a raiz de toda a problemática. E será que vão ganhar algo com isso? A Parceria Público Privada formada para esse projeto garante que o estacionamento será pago! Mas não se preocupe caro leitor, o governador garantiu que "haverá um controle sobre o valor cobrado".   
 É assim que querem fazer a nossa cidade funcionar. Com seus interesses governamentais acima da opinião popular e acima de uma cidade que é Patrimônio Cultural da Humanidade. Não se pode assumir um projeto dessa grandeza do dia para a noite. Não se pode dar um "jeitinho" e tapar os olhos e ouvidos dos moradores. Não se pode construir, sem perguntar, sem discutir, um projeto que, no final, só servirá para tapar o sol com a peneira. 





CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário