Ron Mueck

  Esses dias estava assistindo um documentário no canal Gnt sobre um artista plástico australiano e me apaixonei. Talvez pelo fato de Ron Mueck ser um exímio escultor ou pelo fato de  a vida tê-lo tornado  artista. Nascido em Melbourne na Austrália no ano de 1958, é filho de fabricantes de brinquedos. Quando criança fazia marionetes para vender. A exigência de seu pai para que os bonecos fossem perfeitos fez com que Mueck desenvolvesse o detalhismo em sua arte.
  Depois de um certo tempo foi descoberto. Em uma exposição onde pequenas peças encomendadas por sua sogra para compor uma pintura atraíram olhares curiosos. Foi aí que ganhou visibilidade. O corpo humano é seu alvo. O perfeccionismo com que são feitas expressões faciais utilizando fibra de vidro (sim! fibra de vidro) é um dos motivos que tornam suas exposições ao redor do mundo encantadoras de milhares de pessoas.

Auto Retrato de Ron Mueck.

  As obras hiperrealistas deixam sentimentos humanos ressaltados e parecem congelar momentos da vida cotidiana. Sinais de idade, imperfeições do corpo são perfeitas na arte de Mueck.


  
  Suas obras surpreendem também pela variação de escala. E seja qual for o tamanho, a riqueza de detalhes não diminui.





  "A pressa é inimiga da perfeição". A expressão popular se aplica ao processo de criação de Ron. Artista solitário em seu trabalho, Mueck trabalha lentamente em seu pequeno estúdio em Londres. Tantos detalhes são feitos com o tempo necessário para que se chegue à perfeição. Ou quase lá.


 "Couple under an umbrella"







 Sua última exposição ocorreu em Paris no ano de 2013. Chegando pela primeira vez na América do Sul, as obras de Mueck, que já passaram por Buenos Aires, estão em exposição até o começo de junho no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM).


 O vídeo abaixo é sobre o making of da exposição na Fondation Cartier em Paris. Dirigido por Olivier Lambert e pelo fotógrafo Thomas Salva.





CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário